Home Notícias

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário), a LCA (Letra de Crédito Agrícola), o CDB (Certificado de Depósito Bancário) e as letras de câmbio oferecem rendimentos bem superiores à caderneta

A caderneta de poupança ainda é a aplicação mais procurada pelos brasileiros, segundo diversas pesquisas. No entanto, ela está longe de ser o investimento mais rentável – com a alta da taxa de juro, outros produtos com retornos atrelados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário) rendem bem mais do que a caderneta e oferecem a mesma garantia.

É o caso da LCI (Letra de Crédito Imobiliário), da LCA (Letra de Crédito Agrícola), do CDB (Certificado de Depósito Bancário) e das letras de câmbio. Em comum com a poupança, as 4 aplicações também são garantidas pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos) em caso de ‘calote’ da instituição que emitiu o título, até o limite de R$ 250 mil. Ou seja, se o banco tiver problemas de solvência e, na pior das hipóteses quebrar, o investidor que aplicar até este valor tem o recebimento garantido pelo fundo – assim como acontece na aplicação mais popular do país.

Para se ter ideia da diferença de rentabilidade, a LCI do Banco Modal, com liquidez após 195 dias e classificação de risco (rating) A2,  chega a render 43% a mais do que a caderneta de poupança. A aplicação mínima é de R$ 20 mil e o rendimento é de 95% do CDI, isento de imposto de renda.

O mesmo comparador mostra que o CDB do banco Bonsucesso rende 32% a mais do que a caderneta, para aplicações de no mínimo 721 dias. Com classificação de risco BBB, a aplicação mínima é de R$ 10 mil e o certificado rende 113% do CDI.

Liquidez e aplicação mínima

É preciso lembrar que, para oferecer uma rentabilidade melhor, a maioria dos investimentos tem menos liquidez (facilidade de transformar a aplicação em dinheiro). Ou seja: o investidor precisa abrir mão de utilizar aquele recurso durante determinado período, que pode chegar a 2 anos nas aplicações citadas. Já na caderneta de poupança, os resgates podem ser feitos diariamente (ainda que o crédito do rendimento só seja efetuado a cada 30 dias).

“De uma forma geral, todos estes produtos são ofertados com melhores rentabilidades quanto maior for o prazo de permanência. Aqueles que dependem do dinheiro no curto prazo devem analisar suas necessidades e diversificar em produtos conforme sua liquidez”, afirma o Diretor da Valore Investimentos, Marcos Araújo Fernandes.

O risco da emissão também é fator determinante para um retorno mais alto, mas o FGC é um ótimo aliado do investidor. A grande dica neste caso é jamais aplicar mais do que R$ 250 mil em uma única instituição financeira, já que o fundo só cobre até este limite por CPF.

Outra diferença destes produtos em relação à caderneta é o valor mínimo da aplicação – inexistente na poupança e que nestes títulos muitas vezes varia entre R$ 10 mil e R$ 50 mil. No entanto, para quem não tem muitos recursos (e também não quer abrir mão da liquidez), existem opções com tíquete mais baixo: o Bonsucesso, por exemplo, oferece um CDB com liquidez diária e aplicação mínima de R$ 5 mil que paga 101% do CDI (18% a mais do que a poupança).

 Veja as características de 4 aplicações de renda fixa garantidas pelo FGC e que rendem mais do que a poupança:

 CDB

São títulos emitidos por bancos para se capitalizarem (na prática, você empresta dinheiro para a instituição em troca do rendimento). Podem ser pós-fixados (mais comuns), ou prefixados. No caso dos pós fixados, normalmente o banco paga um percentual do CDI. Já nos prefixados, o cliente sabe na hora da aplicação qual será o seu rendimento no final.

“O CDB, em geral, permite resgate sem perda de rentabilidade, desde que respeitados prazos mínimos de aplicação, que podem ser até diários”, ressalta o diretor da Valore.

 Imposto de Renda: Sim, tabela regressiva:

Até 180 dias: 22,50%

De 181 a 360 dias: 20%

De 361 a 720 dias: 17,50%

Acima de 720 dias: 15%

Taxas: Não há cobrança de taxas de administração ou custódia.

 LCI

É um título de renda fixa emitido por bancos e lastreado por empréstimos imobiliários. Pode ter rentabilidade pré ou pós-fixada.

No caso das LCI pós-fixadas, o investidor receberá um percentual do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), negociado com a instituição que emite o título. Normalmente, quanto maior o prazo e o valor da aplicação, maior o percentual do CDI pago aos investidores. Já no caso das LCI prefixadas, o investidor fica sabendo no momento da aplicação qual será o seu rendimento, independentemente da oscilação do CDI no período.

Entre as principais vantagens da aplicação está o fato dela ser isenta de IR (Imposto de Renda), o que garante uma rentabilidade líquida maior, principalmente no longo prazo. Outra vantagem é o fato de ser garantida pelo FGC.

Taxas: Pode ou não haver cobrança de uma baixa taxa de custódia. Algumas corretoras isentam clientes que tem ações ou outros produtos.

Imposto de Renda: Isento

LCA

São títulos emitidos por bancos, lastreados por dívidas contraídas no setor do agronegócio. Foram lançados pelo governo com objetivo de ampliar os recursos disponíveis ao financiamento agropecuário.

A rentabilidade da LCA pode ser definida por taxa de juro pré ou pós-fixada. No caso de LCA prefixada, o investidor sabe qual será a remuneração no momento da compra do título. Já quando adquire uma LCA pós-fixada, a rentabilidade geralmente é baseada em um percentual do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que por sua vez, oscila sempre muito próximo da Selic (Taxa Básica de Juros). Isso quer dizer que, no caso da LCA pós-fixada, quanto mais alta estiver a Selic, maior será a rentabilidade do título.

O mesmo vale para o contrário: se a Selic estiver baixa, a remuneração tende a ser menor.

Uma das principais vantagens é o fato de ser isenta de imposto de renda. Desta forma, a rentabilidade líquida para o investidor é mais alta. A aplicação também é garantida pelo FGC até o limite de R$ 250 mil.

Taxas: Pode ou não haver cobrança de uma baixa taxa de custódia. Algumas corretoras isentam clientes que tem ações ou outros produtos.

 Imposto de Renda: Isento

Letras de câmbio

As letras de câmbio são uma espécie de CDB emitidos pelas financeiras – elas emitem este título como forma de capitalização e, em troca, remuneram o investidor.

Uma das maiores vantagens das é a rentabilidade mais atrativa do que outras aplicações de renda fixa atreladas ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Como o risco de crédito das financeiras é maior do que o dos bancos (que emitem CDB), elas pagam mais em troca do ‘empréstimo’. Ao mesmo tempo, este risco é mitigado com a garantia do FGC.

 “As LC podem contar com liquidez diária e muitas vezes podem ser resgatadas antes de seu prazo final de aplicação. Contudo, o seu assessor de investimento deverá ser consultado para deliberar sobre as condições do produto”, afirma Fernandes, da Valore.

 Imposto de Renda: Sim, tabela regressiva.

Taxas: não são cobradas taxas de administração ou custódia.

 Fonte:
Infomoney
Por Diego Lazzaris Borges